Vereadora Isolda Dantas denuncia atentado a acampamento do MST em Mossoró

Parlamentar pede providências imediatas. "A Prefeitura e a segurança do Estado não podem fazer de conta que o problema não existe", disse.

Foto: Edilberto Barros/CMM
Foto: Edilberto Barros/CMM

Da Assessoria/CMM

Na sessão da Câmara Municipal de Mossoró, nesta terça-feira (2), a vereadora Isolda Lula Dantas (PT) denunciou atentado a bala, na madrugada desta terça (1º), ao acompanhamento Comuna Urbana, coordenado pelo Movimento Sem Terra (MST), instalado na BR-304, próximo à antiga fábrica da Porcelanatti em Mossoró.

"É a segunda vez em oito dias que o acampamento é atacado a bala, de forma covarde e cruel. Lá, não estão acampados bandidos, mas pessoas lutando pelo direito à moradia. Faço essa denúncia e registro meu repúdio, porque não se resolve problema social à bala e aquelas pessoas não podem ser retiradas à força", assinalou.

A vereadora pediu apuração dos responsáveis pelo atentado e, para isso, anunciou que participaria, instantes depois, de reunião sobe o assunto da seccional de Mossoró da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). "A Prefeitura e a segurança do Estado não podem fazer de conta que o problema não existe", alertou.

Debate

Sete vereadores opinaram sobre a situação, em aparte ao pronunciamento de Isolda Lula Dantas. O vereador João Gentil (sem partido) lembrou que a área ocupada pertence ao Distrito Industrial de Mossoró, e a vereadora Izabel Montenegro (MDB) também pediu apuração. "Tirar à bala, jamais", repudiou.

O vereador Rondinelli Carlos (PMN) prestou solidariedade aos integrantes do MST, e chamou a responsabilidade do Governo do Estado e da Prefeitura de Mossoró. O vereador Petras Vinícius (Democratas) repudiou o acontecimento, e os vereadores Raério Araújo (PRB), Didi de Arnor (PRB) e Ozaniel Mesquita também se somaram à solidariedade aos participantes do acampamento.