“Rota dos Cordeiros” auxilia produtores a superar desafios no RN

Iniciativa do Ministério da Integração Nacional, que conta com o apoio do Sebrae/RN, busca fortalecer setor da ovinocaprinocultura. 

Foto: Assessoria/Sebrae
Foto: Assessoria/Sebrae

Da Assessoria/Agência .com

Uma das mais tradicionais cadeias produtivas do Semiárido nordestino, a ovinocaprinocultura deverá ganhar ainda mais representatividade no Rio Grande do Norte a partir da inserção do estado na Rota do Cordeiro Potiguar, iniciativa do Ministério da Integração Nacional. Mas, apesar do elevado potencial, desafios, como a baixa noção de tecnologia dos produtores, precisam ser superados para fortalecimento da atividade.

A observação é do coordenador da Rota dos Cordeiros do Ministério da Integração Nacional, Vitarque Coelho, que proferiu palestra nesta terça-feira, 8, no I Workshop da Rota do Cordeiro Potiguar, promovido pelo Sebrae no Rio Grande do Norte, no auditório da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), em Mossoró.

Segundo Coelho, os desafios, que inclui ainda a desorganização dos produtores e falta de padronização dos cortes, estão muito ligados a questões culturais da atividade que, ao longo do tempo, manteve as mesmas práticas tradicionais. Tais características, ainda de acordo com ele, impedem que a atividade se consolide e contribua para a interiorização do desenvolvimento econômico.

"A Rota do Cordeiro Potiguar está à frente de vários outros dos 14 polos que integram a Rota do Cordeiro. O Estado possui um grande potencial, mas será necessário superar a atual cultura de produção, com baixo uso de tecnologia, a desorganização da cadeia e informalidade para passar a fornecer para frigoríficos e tornar a atividade mais competitiva e relevante economicamente", destaca.

O I Workshop da Rota do Cordeiro Potiguar reuniu produtores dos 19 municípios contemplados com a Rota do Cordeiro Potiguar, que no estado é capitaneada pelo Sebrae-RN, e prevê o fortalecimento da cadeia produtiva por meio da modernização e ampliação da competitividade dos empreendimentos.

Iniciativa transformadora

O diretor Técnico do Sebrae no Rio Grande do Norte, João Hélio Cavalcanti Júnior, participou da abertura do evento e ressaltou a importância do projeto como ferramenta transformadora da atividade no estado.

"Iniciativas como esta nos faz acreditar que é possível transformar a realidade da ovinocaprinocultura, buscando alternativas inovadoras para melhorar a qualidade do produto e fortalecer a cadeia produtiva como um todo", observa.

Expectativa

Ranilson Cavalcante possui uma pequena criação de ovinos em Assú, um dos municípios que integram a Rota do Cordeiro Potiguar. A possibilidade de, por meio do projeto, superar algumas dificuldades inerentes à atividade, o deixou animado.

"O projeto é excelente. Eu fiquei muito animado, porque, com os investimentos do projeto, vou ser orientado e poderei superar alguns problemas de certificação e vou melhorar meu produto", frisa.

A inserção do Rio Grande do Norte na Rota do Cordeiro ocorreu em outubro de 2017. Antes da entrada do polo Cordeiro Potiguar, o projeto Rota dos Cordeiros era composto por 13 polos.