Rondinelli Carlos: “Precisamos de mais recursos para a área rural do nosso município”

Em entrevista concedida ao Jornal De Fato, vereador defende mais investimentos para o campo e faz balanço da sua atuação parlamentar. Confira:

Foto: Marcos Garcia/Jornal De Fato
Foto: Marcos Garcia/Jornal De Fato

Por César Santos e Maricelio Almeida/Jornal De Fato

O vereador Rondinelli Carlos é uma das principais vozes em defesa da zona rural na Câmara Municipal de Mossoró, mas sua atuação no Parlamento não tem se resumido a questões voltadas para o campo. Em três anos de mandato, o edil já apresentou quase 800 proposições, entre elas, 100 projetos de lei, dos quais, 10 foram sancionados ou promulgados, contemplando temáticas como a inclusão social, saúde, educação e, claro, agricultura.

Na entrevista desta semana da seção "Cafezinho com César Santos", o vereador confirma que deixará o PMN, partido que não atingiu a cláusula de barreira nas eleições de 2018, e por isso enfrentará uma série de restrições no pleito deste ano, o que deve levar ao seu esvaziamento, perdendo as duas cadeiras que hoje ocupa no Poder Legislativo local: Rondinelli e o vereador Genilson Alves.

O parlamentar também reafirma que o seu destino partidário deve ser mesmo o PTB, destaca que já está dialogando com aliados para formação de uma nominata forte para a disputa municipal, quando pretende renovar o seu mandato, e faz uma avaliação da gestão da prefeita Rosalba Ciarlini. Acompanhe.

O senhor vai mudar de partido? Qual a justificativa dessa provável mudança?

Nós estamos num diálogo bastante avançado com o PTB, do qual nós fomos convidados pelo suplente de deputado estadual Getúlio Batista a compor os quadros, principalmente tendo os cuidados necessários de dialogar com todos os colegas partidários do PMN. Nós avançamos nesse diálogo, e temos hoje como presidente municipal do PTB o amigo suplente do PMN até então Geovany Sousa, empresário de um grupo aqui da cidade de Mossoró e que vem conduzindo os destinos da sigla ao longo desses últimos meses.

COM essa mudança, os membros, filiados do PMN, pré-candidatos que certamente o partido tem, eles acompanham a sua decisão, para se formar uma nominata no PTB?

A DECISÃO de buscar outra sigla partidária se deu quando o próprio PMN não atingiu a cláusula de barreira, e essa discussão não tomou o âmbito somente do município de Mossoró. Nós conversávamos com o presidente estadual do PMN à época, alguns meses atrás, inclusive com outros colegas partidários, de cidades como Ipanguaçu, Parnamirim, dentre outros municípios que o PMB dispõe de quadros, e nós estamos esperando, temos conversado. O nosso primeiro suplente partidário, ele tem uma pessoa dele nos quadros do diretório municipal do PTB, e também está aguardando a janela partidária, que se abre agora em março e vai até o início de abril, para que se possa tomar esse novo rumo. A ideia é que nós consigamos não só atrair, mas levar um bom número de amigos já afiliados ao PMN até então, e também outros que queiram, que apostem num projeto para se trabalhar de duas e, quem sabe, até a terceira cadeira no Legislativo municipal.

O PTB vai conseguir formar uma nominata forte para alcançar esse objetivo?

O ESFORÇO está sendo feito, o diálogo, principalmente sobre a condução do presidente municipal, está sendo feito, conversando, escutando. Nós sabemos que uma eleição proporcional, inclusive agora com essa nova mudança de regra, já que não existirá mais coligação proporcional, os grupos, todos que queiram buscar um assento na Câmara Municipal necessitam estar fortes. Portanto, a ideia é que se fortaleça o agrupamento para que tenha essa capacidade de se buscar as duas cadeiras ou até mesmo, quem sabe, sonhar com a terceira.

NO PLEITO de 2016, o PMN já não se coligou com nenhum outro partido, e mesmo assim conquistou as duas cadeiras naquele ano. Não é uma experiência tão nova para o senhor então esse sistema...

ISSO. Nós tivemos no pleito de 2016 uma experiência, nós nem saberíamos como seria a eleição de 2020, mas em 2016 realmente nós saímos, o PMN, sozinhos, e conseguimos 10.193 votos, um grupo bem considerável a título de votação, pois uma quantidade de votos como essa pode definir uma eleição, inclusive majoritária, se observarmos o cenário que se avizinha com relação às disputas que acontecem. Esperamos que agora em 2020 consigamos repetir o que já fizemos em 2016, nós não coligamos com ninguém na proporcional e conseguimos eleger dois diretos e por muito pouco não conseguimos a terceira cadeira. Esperamos repetir essa dosagem agora, claro que com esforço maior, para que tenhamos a condição de sonhar com essa terceira cadeira de forma mais clara, até mesmo porque as regras para as sobras também foram alteradas, o que precisa ser atentado por todos os agrupamentos que estão em formatação.

O SENHOR faz parte da base de sustentação política da prefeita Rosalba Ciarlini na Câmara Municipal. O PTB vai seguir essa posição política que o senhor exerce hoje, ou seja, vai somar com a disputa majoritária em torno da prefeita?

EU FAREI todos os esforços necessários. Essa conversa que nós estamos tendo aqui eu já tive com o presidente estadual do partido, disse do nosso desejo, da nossa disposição em continuar acreditando no trabalho da prefeita Rosalba Ciarlini, buscando dar sustentabilidade na Câmara Municipal de que ela necessita, e também estamos dialogando todos os dias com os filiados partidários, mostrando o melhor caminho, tendo em vista que nós sabemos que é uma prefeita com experiência, uma prefeita que tem trabalhado para buscar melhorar a vida da população, e nós estamos, claro, observando e vivenciando os resultados positivos da gestão Rosalba Ciarlini, especialmente nesses últimos dois anos nós sentimos com maior intensidade as ações chegando de forma mais enérgicas, em favor da população, seja da cidade, mas também do campo.

E NO campo, o senhor tem uma atuação muito forte, uma ligação muito forte. Foi gerente e secretário de Agricultura, hoje está vereador. Qual a avaliação que o senhor faz do trabalho desempenhado pelo secretário Municipal de Agricultura, Jean Carlos Vieira, em relação à zona rural de Mossoró?

EU FICO de forma bastante tranquila para falar sobre a área rural do nosso município, pois é a nossa principal bandeira de luta, a zona rural de Mossoró ela corresponde para mim um trabalho que eu necessito diariamente apresentar os resultados, pois foi fruto também de um trabalho dos moradores do campo, da zona rural, das moradoras, das agricultoras familiares, dos agricultores familiares, que também contribuíram de forma decisiva para que nós estejamos agora na Câmara Municipal, dando vez e voz à população. Nós temos a tranquilidade de falar que a Prefeitura de Mossoró vem buscando melhorar, acertar, mas na zona rural ainda precisa ser feito muito.

EM que sentido?

NÓS precisamos de mais recursos para a área rural do nosso município, temos a necessidade de que a Secretaria de Agricultura se aproxime cada vez mais da população do campo, e nós estamos, dentro da nossa condição de vereador, buscando dar nossa parcela de contribuição, porque tem uma situação que é bastante interessante: nós temos a liberdade, aí eu digo toda a bancada da prefeita Rosalba Ciarlini, de quando ela acerta, parabenizá-la, mas quando existe uma dificuldade, um erro também apontar esse erro para que seja feita a possível correção. Na Secretaria de Agricultura ainda tem muito a se melhorar. Nós esperamos que o secretário consiga acertar em uma maior velocidade, até mesmo porque nós estamos agora, se Deus quiser, com o início de um período invernoso, que é propício para todos que residem no meio rural.

O ANO de 2019 foi marcado por vários embates na Câmara Municipal, o que é natural, a Câmara é uma casa de debates, de discussão. Porém, teve uma situação que a Câmara aprovou um projeto autorizando uma operação de crédito para o Município, e a oposição questionou a própria Câmara na Justiça. Na hora em que a própria Câmara vai buscar a interferência de outro Poder, ela não prejudica a imagem do Poder Legislativo?

INICIALMENTE, eu gostaria de ratificar o meu apoio ao financiamento, tendo em vista que são mais de 40 obras que estão previstas para serem executadas com os recursos de até R$ 150 milhões, e isso só foi possível pela coragem da prefeita Rosalba Ciarlini, de tomar algumas decisões ao longo desse mandato que pudessem dar a capacidade de realizar um financiamento dessa envergadura. Tivemos o cuidado, durante todo o trâmite da matéria na Casa Legislativa, de procurar informações, de conversar com o gerente geral da Caixa Econômica Federal em Mossoró, o senhor Julierme Torres, estive com ele pessoalmente. Também fui à secretária de Educação, Magali Delfino, estive com a secretária de Infraestrutura, Kátia Pinto, em uma conversa bastante demorada, dirimindo minhas dúvidas com relação a esse financiamento. E, claro, sentamos à mesa com a prefeita Rosalba Ciarlini e decidimos que realmente era a melhor saída. Uma cidade como Mossoró conseguir um financiamento dessa envergadura vai fazer que nós tenhamos as obras tão sonhadas pela população e as digitais do vereador Rondinelli Carlos são a favor das obras para Mossoró.

A AÇÃO acabou atrasando o andamento do processo...

QUANDO aconteceu essa ação visando o impedimento do financiamento, nós inicialmente ficamos surpresos, mas acreditávamos que a Prefeitura de Mossoró pudesse reverter essa questão e no TRF 5 foi conseguida essa superação. O problema é que atrasou mais do que o previsto, tanto é que Julierme Torres, na oportunidade que esteve comigo, falou que a operação muito provavelmente até o final de 2019 estaria concluída e não foi concluída por força dessa ação judicial, mas esperamos que a prefeita consiga até o início de fevereiro ter essa solução resolvida para que essas obras cheguem. É a Ponte da Ilha de Santa Luzia, obras de infraestrutura, de saneamento, escolas tanto para área urbana como para área rural. Nós iremos defender o financiamento na Câmara Municipal e onde for necessário.

VOLTANDO ao fato de os próprios membros da Câmara questionar a legalidade de uma matéria aprovada por esta Câmara, não acaba atingindo a imagem do Poder Legislativo?

OLHA, de forma tranquila, eu te digo que esse é um direito que eles possuem, se assim eles acham pertinente que o façam, mas como disse anteriormente, o que nós estamos apostando é nas ações para o Município. Essa ação eu vejo mais com um cunho político e não cunho administrativo. Se olhar pelo viés administrativo, Mossoró não é uma ilha, os problemas não acontecem somente em Mossoró; acontecem em todas as cidades do país. Mas, nós conseguirmos durante esse pouco tempo de gestão da prefeita Rosalba Ciarlini sair de uma dificuldade financeira encontrada no ano de 2017, quando o Município não tinha condição, capacidade de endividamento, e hoje dispor de um recurso como este, isso nos mostra que a gestão municipal tem procurado acertar e acertou, tanto é que a Caixa Econômica está disponibilizando esse recurso para investimento. Como disse, essa é uma ação (da bancada de oposição) que eu considero de cunho político.

PARA finalizar, qual o balanço destes três anos de atuação do senhor na Câmara Municipal de Mossoró?

NÓS temos aproximadamente quase 800 proposições apresentadas ao longo dos últimos três anos, estamos como presidente da Comissão de Agricultura e Cooperativismo da Câmara, estamos como presidente da Frente Parlamentar e Popular em Defesa dos Criadores de Mossoró. Também somos autores de quase 100 projetos de lei, dos quais, 10 já foram sancionados e/ou promulgados, que já estão em vigor na cidade de Mossoró, dentre estes, eu gostaria de destacar o projeto que versa sobre os cuidados necessários para a pessoa com o transtorno do espectro autista (TEA); a lei que versa sobre o tratamento da microcefalia, Mossoró hoje, inclusive, pós essa nossa lei que está sendo cumprida pela prefeita Rosalba Ciarlini, está sendo referência não somente na cidade, mas em todo o estado do Rio Grande do Norte; nós temos lei que versa sobre a perfuração de poços para os criadores de caprinos e ovinos e os produtores de orgânicos. Nós temos um trabalho muito grande, intenso, e tivemos, para a nossa grata satisfação, agora nos últimos dias do 2019 sancionado, pela prefeita Rosalba Ciarlini, um projeto de nossa autoria que versa sobre o transporte para os alunos da zona rural que estudam em universidades públicas ou particulares, cursos profissionalizantes e ou cursos técnicos aqui na área urbana do nosso município, para que eles possam se deslocar nesses ônibus que são disponibilizados pelo Município, através de um convênio que pode ser realizado com o Estado, portanto, nos deixa bastante satisfeito ser autor dessas e de outras ações que beneficiam diretamente a vida da população, seja da área urbana, como também da área rural.