Professores da Uern decidem encerrar greve após 127 dias de paralisação

A decisão foi apertada. Foram 175 votos a favor do fim do movimento, 161 pela sua continuidade e três abstenções.

Foto: Assessoria/Aduern
Foto: Assessoria/Aduern

Da Assessoria/Aduern

Em uma assembleia extremamente concorrida e que contou com uma das maiores participações da categoria nos últimos anos, foi definido nesta sexta, 16, o fim do movimento grevista dos docentes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern), iniciado no dia 10 de Novembro de 2017.

A decisão foi apertada. Foram 175 votos a favor do fim da greve, 161 pela sua continuidade e três abstenções.

De acordo com a Associação dos Docentes da Uern (Aduern), o debate travado durante a assembleia desta sexta, 16, explicitou o sentimento de toda a categoria de que é preciso continuar lutando pela universidade, pela regularização dos salários (pagos em atraso desde janeiro de 2016) e pela defesa da educação pública, gratuita e de qualidade. As falas de professores e professoras como um todo defenderam a manutenção de um estado de vigilância e mobilização permanente.

A categoria aprovou a criação de um comando permanente de mobilização que irá dar continuidade as ações propostas pelo Comando de Greve docente, garantindo que a luta por condições dignas de trabalho e de estudo não se encerrará com o fim do movimento grevista.

A ADUERN enviou na última terça-feira (13), uma proposta para garantir a regularização dos salários dos professores e professoras da universidade. A proposta já se encontra com o Executivo estadual e a negociação segue sendo pauta prioritária da direção sindical.

Os professores da UERN ainda aguardam pelo recebimento do salário de fevereiro e do 13º referente ao ano de 2017.

Calendário

A direção da ADUERN destacou que remeterá a decisão da categoria para a administração da universidade, que nos próximos dias deverá realizar os trâmites burocráticos e apresentar um novo calendário acadêmico com as datas do semestre que se iniciará.