Preços de passagens da linha Mossoró/Recife sobem e chegam a R$ 757,87

Em nota, Azul justificou que os preços variam de acordo com fatores importantes, como trecho, sazonalidade e compra antecipada

Foto: Marcos Garcia/De Fato
Foto: Marcos Garcia/De Fato

Maricelio Almeida/Jornal De Fato

Pouco mais de um mês após o início da operação da linha Mossoró/Recife, a população começa a sentir no bolso a diferença no preço das passagens, que começaram a ser vendidas, promocionalmente, por R$ 103,97 e hoje podem ser encontradas pelo preço de R$ 757,87, conforme pesquisa feita pela reportagem do JORNAL DE FATO no site da Azul Linhas Aéreas.

A pesquisa realizada pela reportagem utilizou as datas 23 de julho (embarque) e 27 de julho (desembarque). Somadas a ida e a volta e a inclusão de uma mala de até 23 kg, o trecho está custando R$ 1.472,94. Em nota, a Azul justificou que os preços praticados para as vendas de suas passagens variam de acordo com alguns fatores importantes, como trecho, sazonalidade, compra antecipada, combustível, disponibilidade de assentos, entre outros. "A alta do dólar e do petróleo também são fatores que impactam no valor adotado", esclareceu a companhia.

Ainda em nota, a Azul afirmou que a melhor saída é sempre planejar a viagem e comprar o bilhete com, no mínimo, 30 dias de antecedência. O diretor local da Agência Brasileira das Agências de Viagem (ABAVE), Carlos Gregório, corrobora com a justificativa apresentada pela Azul. Segundo ele, quanto maior for o planejamento, maiores são as chances de o cliente encontrar um preço mais em conta.

"O que está acontecendo é que muita gente está procurando passagem para embarque imediato, cujos valores são sempre mais elevados. Exemplo: se você quer viajar em outubro, novembro, conseguimos tarifas para Recife por R$ 250,00, R$ 280,00. A questão é que as pessoas não se programaram; viram que o voo está funcionando, e estão querendo viajar logo e pagar barato, mas independente de qual for o destino, saindo de Mossoró, Fortaleza, Natal, vai ser mais elevado", pontuou.

Gregório, que também administra uma agência de viagens em Mossoró, reforça a dica que sempre oferece aos seus clientes: "Quer viajar? Programe-se e compre as passagens com antecedência, que assim se consegue preços bons. Eu não acredito que a companhia aérea vá subir o preço porque a demanda está alta. Isso pode acontecer. Mas, nesse caso de Mossoró, na minha opinião, a questão é a compra para embarque imediato, porque as companhias ganham com isso, com quem precisa viajar de urgência, como executivos, por exemplo. Para lazer, o segredo é comprar com antecedência", enfatiza.

O JORNAL DE FATO constatou que, para embarques futuros, os preços estão mais acessíveis. O voo com saída de Mossoró no dia 12 de novembro está custando, sem bagagem, R$ 135,87. O retorno para a cidade, em 19 de novembro, também sem bagagem, custa R$ 153,07.