Montagem de novos leitos na UPA do Belo Horizonte começa na quarta, 15

Unidade de Pronto Atendimento ganhará 24 novos leitos, sendo 20 de observação e quatro de cuidados intermediários.

Módulos que servirão como leitos estão sendo produzidos em Parnamirim
Módulos que servirão como leitos estão sendo produzidos em Parnamirim

Começa na quarta-feira, 15, a montagem dos novos leitos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Belo Horizonte. A informação foi confirmada ao BLOG MARICELIO ALMEIDA pela secretária municipal de Saúde de Mossoró, Saudade Azevedo.

"As unidades modulares estão sendo montadas em Parnamirim, e a equipe chega na terça-feira em Mossoró, para ver a questão de nivelamento de terreno. Na quarta começa a montagem. Até o final da próxima semana, os leitos estarão funcionando, se Deus quiser", destacou Saudade.

Segundo a secretária, o Município já dispõe de camas e demais materiais para colocar em funcionamento os leitos de retaguarda, que são 20 no total. A UPA ganhará ainda outros quatro leitos de Unidade de Cuidado Intermediário (UCI), também chamados de Sala Vermelha.

"O funcionamento da Sala Vermelha vai depender ainda da chegada de respiradores, que a Prefeitura está providenciando a compra, o problema é a escassez. O Brasil comprou os equipamentos, mas os Estados Unidos confiscaram. Esses leitos de UCI ficarão dentro da própria UPA, independe dessa montagem que começa na quarta-feira, 15", acrescentou Saudade Azevedo.

Atualmente a UPA do Belo Horizonte dispõe de 15 leitos de retaguarda clínico para atendimento à população, que são leitos de baixa complexidade, onde o paciente fica até 24h. Com a ampliação, a UPA vai passar a contar com 39 leitos (sendo 35 de baixa complexidade e quatro de média e alta complexidade) exclusivamente para as síndromes respiratórias graves.

As quatro UCI vão servir, por exemplo, naqueles casos em que o paciente está em um leito de retaguarda e apresenta uma piora no quadro clínico, necessitando de uma assistência mais completa. Até conseguir uma vaga em uma UTI, o paciente ficará na UCI recebendo a assistência necessária. Essa medida ajuda a desafogar os atendimentos do Hospital Regional Tarcísio Maia e outros hospitais nesse momento de pandemia do novo coronavírus.