Janeiro Branco: especialista alerta para os cuidados com a saúde mental

Mariana França destaca a importância de buscar ajuda com um psicólogo e psiquiatra ao menor sinal de desequilíbrio emocional

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Da Assessoria/Hapvida

Expectativas, projetos futuros e cobranças cada vez mais tem gerado ansiedade em grande parte das pessoas, a busca pelo sucesso e por estabilidade financeira na vida tem causado diversos sentimentos, a frustração é um dos mais difíceis, resultando em alguns casos em depressão. Diante das diversas formas de adoecimento mental, é que surge a campanha Janeiro Branco, que tem como principal objetivo discutir a saúde mental como um todo. A psicóloga do Hapvida, Mariana França, fala sobre a importância de cuidar da saúde mental e emocional.

"Por ter uma doença, muitas pessoas eram trancadas, amarradas, espancadas e excluídas da convivência social e de cuidados médicos adequados à saúde física. Infelizmente esse não é um passado distante. Por isso, campanhas como o Janeiro Branco são importantes, para que possamos olhar para nossa vida e se permitir cuidar da nossa saúde mental e emocional de forma tão comum como ir ao dentista.", alerta.

Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) 9,3% dos brasileiros têm algum transtorno de ansiedade e a depressão afeta 5,8% da população. A depressão atinge cerca de 20 em cada 100 pessoas na Paraíba, segundo estimativa da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

A especialista ainda destaca a importância de buscar ajuda com um psicólogo e um psiquiatra ao menor sinal de desequilíbrio emocional. "A nossa sociedade anda adoecida, principalmente quando relativiza o sofrimento, é preciso procurar uma ajuda profissional. Nem toda a tristeza é uma depressão, mas se for, existe uma gama de tratamentos orientados pelo médico psiquiatra e as possíveis medicações, em parceria com o psicólogo, os sintomas podem ter uma grande remissão e a vida pode seguir de forma saudável e produtiva.", orienta.

A psicóloga ainda ressalta que não existe fórmula pronta para a cura de questões da saúde mental, que para o equilíbrio da saúde mental é necessário acompanhamento com especialistas, descanso, buscar atividades que dão prazer e cuidados daqueles mais próximos.