Execução da vereadora Marielle Franco repercute em Mossoró

Pela manhã, vereadora Sandra Rosado protestou na Câmara Municipal; à noite, PSOL promoveu vigília na Praça Rodolfo Fernandes

Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

A execução da vereadora carioca Marielle Franco (PSOL), ocorrida na noite desta quarta-feira, 14, repercutiu também em Mossoró. Na manhã desta quinta, 15, a Câmara Municipal de Mossoró respeitou, um minuto de silêncio à parlamentar assassinada no Rio de Janeiro. A homenagem foi proposta pela vereadora Sandra Rosado (PSB), na sessão solene em celebração aos 166 anos de emancipação política de Mossoró.

Tão logo a solenidade foi aberta, a parlamentar pediu a palavra e sugeriu a homenagem, aceita de pronto pelos presentes, que, de pé, dedicaram um minuto de silêncio no plenário. Sandra Rosado protestou contra o assassinato da vereadora carioca Marielle Franco.

"Recebi a notícia com tristeza e indignação. Uma colega representante do Legislativo, assassinada em pleno cumprimento de seu mandato. Um crime terrível e covarde, que não pode ficar impune e que precisa ser esclarecido, o mais rápido possível", disse

Foto: Edilberto Barros/CMM
Foto: Edilberto Barros/CMM

A vereadora acrescenta que a morte de Marielle Franco é um triste alerta para o aumento da violência contra a mulher, inclusive, em Mossoró, onde várias mulheres têm sido assassinadas. "Não podemos nos calar. É um problema crescente", alerta Sandra.

Vigília

Já durante a noite, a direção municipal do PSOL promoveu a vigília "Marielle Franco, Presente" na Praça Rodolfo Fernandes, a Praça do Pax.

Sobre o caso

A vereadora Marielle Franco, de 38 anos, foi assassinada a tiros dentro do carro em que seguia para casa, após participar do evento "Jovens Negras, Movendo As Estruturas". O motorista dela, Anderson Pedro Gomes, também foi morto.

Marielle se descrevia, em sua rede social Instagram como "Mulher, negra, cria da Maré, defensora dos Direitos Humanos, socióloga, mestra em Administração Pública e vereadora da Câmara do Rio de Janeiro".

Por volta das 21h30, o carro em que estavam Marielle, o motorista e uma assessora passava pela Rua Joaquim Paralhes, no Estácio. Nesse momento, um carro emparelhou com o veículo da vereadora, e foram feitos disparos. Marielle estava no banco de trás, algo que não costumava fazer, e o carro vidros escurecidos. Por isso, a polícia suspeita que os criminosos acompanharam desde o evento na Lapa, tendo conhecimento da posição exata das pessoas.

A vereadora foi atingida por 4 tiros na cabeça. O motorista, Anderson Pedro Gomes, levou pelo menos 3 tiros nas costas. Os criminosos usaram uma pistola 9mm. A assessora de Marielle foi atingida por estilhaços, foi levada a um hospital e liberada. A polícia recuperou 9 cápsulas no local, mas ainda não se sabe o total de tiros disparados. Os tiros foram disparados a uma distância de 2 metros. Os criminosos fugiram sem levar nada. Até o momento, a polícia ouviu duas testemunhas: a assessora de Marielle e uma segunda, não identificada. A polícia busca imagens de câmeras de segurança.

Com informações da Assessoria/Sandra Rosado, Blog Saulo Vale e Portal G1