Consultório na Rua realiza Natal solidário com pessoas atendidas pelo programa

Ação ocorreu na praça Vigário Antônio Joaquim, com distribuição de kits de higiene pessoal, corte de cabelo e distribuição de jantar.

Da Secom/PMM

O Consultório na Rua realizou na noite desta segunda-feira (23) mais um trabalho de valorização e respeito aos indivíduos que estão em situação de rua em Mossoró. Pelo terceiro ano consecutivo o Consultório na Rua promoveu uma confraternização de Natal para dezenas dos 201 indivíduos que são atendidos mensalmente pelo programa da Secretaria de Saúde. A ação ocorreu na praça Vigário Antônio Joaquim, em frente a Catedral de Santa Luzia, com distribuição de kits de higiene pessoal, corte de cabelo e distribuição de jantar.

A coordenadora do Consultório na Rua, Aparecida de Sousa, explicou sobre a realização da ação de hoje. "A gente passa o ano todinho com eles dando assistência de saúde e em dezembro tiramos um dia para fazermos nossa confraternização de Natal junto com eles. Trazemos também, como de costume, atendimento médico com clínico e outros.", afirmou.

Aparecida ainda destacou um dos momentos mais marcantes do Consultório na Rua ao longo deste ano, que foi a volta de quatro homens e duas mulheres para o convívio de suas famílias. "O diferencial do Consultório na Rua neste ano de 2019 foi que a gente conseguiu resgatar seis pessoas em situação de rua ao convívio familiar. Mesmo em suas casas a gente ainda acompanha essas seis pessoas com psicóloga e enfermeira, uma vez por mês, porque quem está nas ruas às vezes tem alguns vícios e não consegue deixar de uma hora para outra.", disse a coordenadora.

"Eu considero que o Consultório na Rua faz a diferença dentro de Mossoró principalmente porque a gente tem eles como amigos, que muitas vezes são rejeitados pela sociedade e a gente acolhe eles. A gente abraça, orienta, medica e fazemos o que muitos queriam que a família fizesse.", afirma Aparecida de Sousa.

Estando em situação de rua há 5 anos por ter perdido todos os familiares próximos e não ter emprego e nem ser aposentada, dona Luzinete Nunes da Costa, de 64 anos, agradeceu a ajuda que vem recebendo do Consultório na Rua e de outras pessoas que também vieram ajudar nessa época do ano. "É um atendimento maravilhoso. Eles estão contribuindo muito com minha saúde. Eu sou atendida sempre por eles. Eu recebi um kit e essa ação acende uma coisa dentro da gente que muitas vezes está apagada. É bom também porque reúne os outros moradores de rua e a gente fica convivendo todos juntos. Também quero agradecer essa ajuda que as outras pessoas nos dão aqui. Eu espero que continuem nos ajudando porque isso é muito importante, porque às vezes a gente passa o dia sem almoçar e vai dormir com a barriguinha cheia.", destacou Luzinete.

Motivado pelo sentimento de ajudar o próximo, o autônomo Luis Gustavo, de 46 anos, aproveitou a oportunidade da Confraternização do Consultório na Rua para distribuir cem quentinhas, refrigerantes e água. "Eu sempre quis fazer uma ação dessa, porque eu sei o que eles passam, o que acontece com eles. Muitos não têm família e outros têm mas foram abandonados, porque atrás de cada problema tem uma história. Esse pessoal é vítima do sistema. É um gesto simples, não foi nada demais, mas eu pude proporcionar e ver o brilho desse pessoal ao ter uma refeição digna em véspera do Natal.", afirmou o autônomo.

Gustavo ainda falou que já tinha o desejo de ajudar ao próximo e que o sentimento no momento de proporcionar essa refeição aos indivíduos em situação de rua é de dever cumprido. "Tenho o sentimento de dever cumprido por hoje ter podido fazer alguma coisa por alguém. Se a gente pudesse olhar e se sensibilizar com o próximo a gente poderia fazer um mundo melhor.", disse.

Atualmente o Consultório na Rua tem mais de 201 pessoas cadastradas que recebem os cuidados regularmente de uma equipe de profissionais composta por psicóloga, assistente social, enfermeiro, técnico de enfermagem, agente social, apoio técnico de segurança e coordenação. Trabalhando regularmente de segunda a sexta-feira das 17h às 21h, nos bairros e praças onde há maior concentração de indivíduos em situação de rua.