Calor excessivo em março faz demanda por energia elétrica crescer 6,9% no RN

Procura por ventiladores, climatizadores e condicionares de ar aumentou no período. Cosern dá dicas para escolher o equipamento adequado para o seu lar.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Da Comunicação/Cosern

O aumento da temperatura em diversas cidades do Rio Grande do Norte entre os dias 11 e 24 de março fez a demanda por energia elétrica crescer 6,9% em comparação ao mesmo período do ano passado. O calor fora de época, que elevou a média da temperatura mínima registrada historicamente em março de 23 para até 27 graus, gerou uma procura considerável nas lojas por ventiladores, climatizadores e condicionadores de ar.

Mas afinal, qual a diferença entre esses três equipamentos e de que forma é possível garantir o conforto térmico sem ter surpresas com a conta de luz no final do mês? Confira as explicações da Cosern e avalie as vantagens e desvantagens de cada tipo de aparelho na hora da compra:

Ventilador:

De acordo com o Manual de Consumo Consciente de Energia da Cosern, a potência média de um ventilador é de 100 W. A desvantagem é que essa não é a melhor opção para quem tem problemas respiratórios e alergia à poeira, já que o aparelho ajuda a espalhar partículas e direciona o vento para um único ponto, além de não umidificá-lo.

Ar-condicionado:

A principal vantagem é o conforto térmico. No entanto, ele consome mais energia e costuma deixar o ar mais seco. Se a sua escolha for comprar um desses equipamentos, uma dica para minimizar o problema é deixar uma bacia com água no ambiente para ajudar a umidificar o ar.

A potência do ar-condicionado residencial normalmente varia de 900 W a 1.400 W. Em média, ele consome mais de 190 kWh ao mês (se ligado durante oito horas por dia), ou seja, mais do que o dobro do consumo do chuveiro elétrico (considerando a utilização durante 32 minutos por dia, com 4 banhos de 8 minutos cada, o que resulta num consumo aproximado de 90 kWh/mês) e mais que o triplo de uma geladeira frost free duplex com capacidade de 440 litros (consumo aproximado de 60 kWh/mês).

Ainda sobre o ar-condicionado, este não deve ser instalado em locais expostos ao sol e, durante o seu uso, portas e janelas devem ficar bem fechadas quando estiver ligado, além de ser muito importante fazer a limpeza dos filtros regularmente.

Climatizador:

São aparelhos que conseguem reunir vantagens tanto do ventilador quanto do ar-condicionado. O aparelho promove a circulação do ar em todo o ambiente e também consegue manter o ar úmido, através da evaporação de água. Entre as vantagens, está o fato de ser mais econômico dp que o ar-condicionado, mais barato e mais leve, o que facilita o transporte para diversos lugares.

Para quem tem problemas respiratórios, o climatizador de ar é a opção mais adequada. A potência varia de 130 W a 1.500 W. Mas atenção: como o objetivo do climatizador não é refrigerar o ambiente - e sim ventilar e umidificar -, ele não é um equipamento adequado para ser usado em lugares já excessivamente quentes e úmidos.

Atenção ao Selo Procel:

É importante lembrar que os equipamentos com Selo Procel de Economia de Energia são os mais econômicos. Muitas pessoas confundem este selo com a Etiqueta do Inmetro, que avalia o nível de eficiência energética dos equipamentos e classifica por categorias, sendo A os mais eficientes, e podendo chegar de C até G, dependendo do produto.

O Selo Procel, cuja coordenação cabe à Eletrobras, é uma ferramenta simples e eficaz que permite ao consumidor conhecer, entre os equipamentos e eletrodomésticos à disposição no mercado, os mais eficientes e que consomem menos energia dentro de sua categoria. Para isso, são estabelecidos critérios técnicos exigidos para a concessão do Selo Procel. O Selo é colado no produto com a frase: "ESTE PRODUTO CONSOME MENOS ENERGIA".