Caixa vai adotar horário especial para pagamento do FGTS aos servidores municipais

Cronograma de pagamento terá início no dia 19 de agosto e segue até o dia 30, com atendimento na Caixa até as 17h.

Foto: Ilustração
Foto: Ilustração

Da Secom/PMM

A Caixa Econômica Federal vai abrir em horário especial para atendimento aos servidores listados para recebimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Os valores já estão disponíveis e o cronograma de pagamento inicia dia 19 de agosto e segue até o dia 30.

"Vamos adotar horário especial para pagamento do FGTS, estendendo o horário de atendimento até as 17h. O objetivo é atender os servidores que têm direito ao benefício com mas comodidade", informa o gerente geral da Caixa, Julierme Torres.

No último dia 30 de julho, após reunião com a prefeita Rosalba Ciarlini, a Caixa havia anunciado o cronograma para a segunda quinzena de agosto. Na última terça-feira (06), foi realizada audiência com a Justiça por solicitação do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sindiserpum), onde o sindicato requer o pagamento de honorários ao advogado contratado. Com isso, falta apenas a homologação da Justiça para que sejam iniciados os repasses. "A Prefeitura tem participado de reuniões com a Caixa, buscando agilizar o início dos pagamentos", esclarece Pedro Almeida, secretário de Administração.

O trabalho para conclusão desse processo foi realizado através de parceria da Prefeitura com a Caixa, onde foram feitos cálculos individualizados, a partir do banco de dados do Município. Por se tratar de servidores antigos, a maioria das informações não estava digitalizada.

Nessa primeira etapa, serão pagos 1.500 servidores, que correspondem aos anos de 1977 a 1986. O montante corresponde a R$ 6 milhões.

Ao todo serão beneficiados 2.780 servidores, que trabalharam na Prefeitura de 1977 a 1991. Cada um tem direito a um montante diferente, correspondente ao valor do seu salário e tempo de serviço.

Pagamento de advogado - Dos quase 2.800 servidores, apenas 248 contrataram advogado pelo sindicato para ação do FGTS. O Sindiserpum solicitou à Justiça a autorização para desconto de todos os servidores. Até a decisão da Justiça, o Município recomenda que não há necessidade do servidor assinar qualquer contrato para pagamento de honorários.